1º CICLO DE PALESTRAS: Gestão Documental e Preservação da Memória Institucional – CAD UFBA

Local do Evento: 
Auditório A do PAF 1 e Coordenação de Arquivo e Documentação – CAD
Data do Evento: 
sexta-feira, 19 Outubro, 2018 – 09:00
Anúncios

Olodum terá Centro Digital de Documentação e Memória

Um acervo composto por 234 mil peças do Centro de Documentação e de Memória do Olodum será catalogado e digitalizado, ganhando ampla divulgação em diversos setores da sociedade. Um termo de compromisso foi firmado nesta terça-feira (25), no Pelourinho, assinado pelo presidente da instituição, João Jorge Rodrigues, e pela titular da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Fabya Reis, o que viabilizará o investimento de R$ 225 mil na ação. Os recursos são resultantes de convênio federal, a partir de emenda parlamentar da senadora Lídice da Mata.

A titular da Sepromi destacou que a iniciativa envolve “educação e preservação da memória” de uma instituição que é referência na defesa dos direitos do povo negro. “Teremos um importante resgate de toda a história do Olodum, desde o seu processo de formação até o registro do trabalho social que tem desenvolvido. Reforçamos, assim, a importância desta organização e seu papel fundamental no processo educacional da nossa juventude. A gente parabeniza a caminhada do Olodum, que é um grande patrimônio da Bahia”, pontuou Fabya Reis.

A secretária ressaltou, ainda, que a iniciativa faz parte da agenda de ações da Década Internacional Afrodescendente na Bahia (2015-2024), lançada pela ONU e abraçada pelo Governo do Estado, sendo uma oportunidade de reconhecimento ao trabalho histórico da entidade no combate ao racismo, visibilidade da cultura afro-brasileira e apoio à comunidade negra.

Para o João Jorge Rodrigues, presidente do Olodum, o ato marca significativamente o aniversário de 38 anos da organização, celebrado nesta terça-feira. “Estamos devolvendo à nossa cidade um pouco do que acumulamos ao longo de décadas, em forma de documentos, mas também de maneira ampla, divulgando nossas fantasias, músicas, cartazes e fatos históricos. Recebemos aqui Nelson Mandela, Paul Simon, Michael Jackson, por exemplo. Isso foi fundamental para abrir a Bahia ao mundo”, afirmou João Jorge.

Entre os itens do acervo estão adereços, abadás, livros, documentos, fitas cassete, vinis e diversos vídeos que registram a trajetória do bloco afro. O conjunto ainda será formado por discos de ouro, troféus, medalhas e outras homenagens acumuladas no trabalho de valorização e projeção da música negra por diversos países, bem como o trabalho social e de combate ao racismo. As etapas incluem triagem do acervo, digitalização e criação de um portal.

Formação e inclusão da juventude negra – Uma das principais marcas da entidade na área social é Escola Olodum, fundada em 1984, constituindo-se numa referência nacional e internacional pela inovação no trabalho com arte, educação e pluralidade cultural, envolvendo a juventude negra de diversos bairros da capital. Este ano, através de parceria com o Governo do Estado, estão sendo beneficiados diversos alunos de 15 e 19 anos, que durante dez meses participarão de cursos profissionalizantes de percussão samba-reggae, dança afro e canto. O investimento é de R$ 1 milhão, recurso oriundo do Estatuto da Igualdade Racial e de Combate à Intolerância Religiosa, por meio de uma articulação entre Casa Civil e secretarias de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) e de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS). A ação é vista como ferramenta estratégica para fornecer noções sobre cultura, cidadania, autoestima e defesa de direitos da juventude negra de áreas de alto índice de vulnerabilidade na capital.

Fonte: SEPROMI

IFBA promove exposição para contar seus 106 anos

Expo IFBA

Uma viagem no tempo, através de fotografias que apresentam a arquitetura dos prédios antigos e o cotidiano de estudantes e servidores no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA), ao longo de seus 106 anos. É o que promete a exposição “A Fotografia como suporte à Memória”.

A exposição que ficará aberta à comunidade, gratuitamente, entre os dias 22 e 31 de março, é resultado do projeto de extensão de mesmo nome, desenvolvido em 2015 pela Coordenação de Memória Institucional, no qual foi feito um levantamento e foram coletadas fotografias do acervo do IFBA. “É a oportunidade de conhecer e apreciar, através da fotografia, a história da educação profissional e tecnológica na Bahia, constituindo-se, sem dúvida, uma ferramenta para evitar o esquecimento e garantir a memória”, ressaltou a organizadora do evento e coordenadora de memória institucional, Tassila Ramos.

Ainda de acordo com Tassila, a mostra percorrerá outros campi do Instituto que tenham interesse em recebê-la, como o campus Salvador, que será o próximo. “A fotografia também conta histórias, revela ambientes, fala sobre pessoas, ou seja, é um suporte para a memória, necessitando ser preservada e disponibilizada com os novos recursos tecnológicos existentes, no caso a digitalização”, finalizou Tassila.

A iniciativa tem o apoio das pró-reitorias de Extensão (Proex), de Desenvolvimento Institucional e Infraestrutura (Prodin); das diretorias de Gestão da Comunicação Institucional (Dgcom) e de Gestão da Tecnologia da Informação; além do curso superior de tecnologia em eventos.

Serviço:
Exposição fotográfica da história do IFBA “A fotografia como suporte à memória”.

De 22 a 31 de março de 2016, das 07 às 19 horas.

MP-ES realiza III Simpósio Capixaba de Memória Institucional

III MIO Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MP-ES), por meio do Memorial, realizará o III Simpósio Capixaba de Memória Institucional no próximo dia 07 de novembro, das 13h às 17h30, no Auditório Manoel Vereza do Centro de Ciências Jurídicas e Econômica (CCJE) – Ufes – Vitória/ES.

Durante a programação, o professor do curso de Arquivologia e do Mestrado Profissional em Patrimônio Cultural da Universidade Federal de Santa Maria (UFMS), Daniel Flores, ministrará a conferência “O uso das tecnologias na construção da Memória Institucional”. Na sequência, haverá uma mesa de comunicação com representantes do arquivo-geral do MP-ES, Junta Comercial do Estado do Espírito Santo e projeto Arquivo Permanente: em busca da memória institucional da Ufes.

O evento tem como público-alvo instituições públicas e privadas, servidores e colaboradores do MP-ES, profissionais e acadêmicos Arquivologia, Biblioteconomia, Comunicação Social, Direito, História e de áreas afins. O objetivo é debater sobre a preservação da memória institucional bem como a criação de uma interface entre o Ministério Público e demais setores governamentais e da sociedade em geral.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site http://www.mpes.gov.br/eventos até às 12 horas do dia 05 de novembro de 2013.

%d blogueiros gostam disto: