Diplomática Contemporânea como subsídio à organização de documentos de arquivo

A Associação dos Arquivistas da Bahia (AABA), com o apoio do DA Arquivologia (UFBA), promove a “Série Diálogos – Diplomática Contemporânea”.

OBJETIVOS: A série de mesas-redondas pretende abordar questões de interesse dos arquivistas a partir do diálogo interdisciplinar com outros campos teóricos afins. 

PÚBLICO ALVO: Arquivistas, bibliotecários, museólogos, estudantes e interessados em geral. 

TEMA: Diplomática Contemporânea como subsídio à organização de documentos de arquivo. 

PALESTRAS: 

  • Diplomática Contemporânea: identificação tipológica e manutenção de requisitos de autenticidade. (Prof. Dr. Daniel Flores – UFSM). 
  • Crítica Filológica: interfaces crítico-analíticas para estudo do texto. (Prof. Dr. Arivaldo Sacramento – UFBA).

Data: 19/05/17
Horário: 17: 00 às 19:00 horas
Local: Sala 1 – Instituto de Ciência da Informação (UFBA)

Certificado para ouvintes.

Inscrições pelo link: https://goo.gl/forms/tKe DLFueFODqNVf43

Dúvidas pelo e-mail: diretoriaaaba.comunicacao@ gmail.com 

Visite a página da AABAhttp://www.arquivistasbahia. Org

 

Anúncios

BPEB em foco: O viés dos arquivistas e bibliotecários sobre a documentação

Na próxima quarta (10), às 10h, a Biblioteca dos Barris, promoverá mais uma série BPEB em foco, com o tema: O viés dos arquivistas e bibliotecários sobre a documentação, nossas convidadas serão: Louise Anunciação Amaral e Lucidalva Pinheiro.
Inscrições através do e-mail: bpebinformacaoemfoco@gmail.com 

#BPEB

Dilma veta garantia de efeitos jurídicos para documentos digitalizados

A presidente Dilma Rousseff vetou a equiparação, para fins probatórios, dos documentos digitalizados aos seus originais. Dilma sancionou projeto tratando da elaboração e do arquivamento de documentos em meios eletromagnéticos, na forma da Lei 12.682/2012, mas rejeitou todos os artigos que garantiam o mesmo efeito jurídico aos documentos digitalizados.

De acordo com o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 11/2007, da então deputada Angela Guadagnin (PT-SP), o documento digital e sua reprodução teriam “o mesmo valor probatório do documento original, para todos os fins de direito”. A proposta também garantia aos documentos digitalizados o mesmo efeito jurídico conferido aos documentos microfilmados.

Na fundamentação dos vetos, com base em parecer do Ministério da Justiça, a presidente afirma que “ao regular a produção de efeitos jurídicos dos documentos resultantes do processo de digitalização de forma distinta, os dispositivos ensejariam insegurança jurídica”. Além disso, Dilma destaca que o projeto trata de forma assistemática os conceitos de “documento digital”, “documento digitalizado” e “documento original”.

A presidente vetou, ainda, artigos que autorizavam a eliminação de documentos originais e em forma eletrônica, com ressalva para os considerados de valor histórico. Essa previsão, segundo Dilma, não observa o procedimento previsto na legislação arquivística.

Com os vetos, a lei apenas exige que o processo de digitalização empregue certificado digital emitido de acordo com a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil) e que empresas privadas e órgãos públicos adotem sistema de indexação para permitir a conferência da regularidade dos documentos.

Fonte: Senado Federal

Pesquisa documental é tema de seminário na UNEB

O Grupo de Pesquisa em Educação e Currículo (Gpec), vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGEduC) do Campus I da UNEB, em Salvador, promove, no dia 19 de junho, às 8h, o seminário Pesquisa documental: relatos de experiências.

A atividade, gratuita e voltada para estudantes e pesquisadores das áreas de história e educação, acontece no Auditório Jurandir Oliveira, no Departamento de Educação (DEDC) do campus.

“O objetivo é compartilhar experiências sobre levantamento, organização e preservação de arquivos na Bahia, além de incentivar a formação de novos pesquisadores documentais”, destaca Elizabete Santana, coordenadora do seminário.

Os interessados devem realizar inscrição, até o dia 18 de junho, no site do departamento. Estão sendo disponibilizadas 70 vagas.

A programação do evento, que reserva lançamento de livro e mesa-redonda, contará com a participação de Antônio Amorim, diretor do DEDC, da professora da Universidade Federal da Bahia (Ufba ) Antonieta D’Aguiar e dos docentes da UNEB Jaci Maria Ferraz, Ivan Novaes e Maria Alba Mello. Além de representantes de diversos órgãos de documentação do estado.

O Grupo de Pesquisa em Educação e Currículo surgiu em 2007, atualmente é constituído por nove membros, graduandos e mestrandos em Pedagogia. O trabalho é desenvolvido com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb).

Informações: gpecurriculo@googlegroups.com.

Fonte: UNEB

Ebook: “Preservação documental: uma mensagem para o futuro” disponível para download

Este livro, que apresenta muito mais que aspectos técnicos, é resultado do trabalho de profissionais e pesquisadores do campo da preservação documental e patrimonial da humanidade, que, no período de março a abril de 2010, reuniram-se intensamente em uma rede sociotécnica on-line.

O primeiro capítulo discute o papel dos documentos na construção da memória social; o segundo apresenta um estudo sobre aspectos interdisciplinares da preservação; o terceiro, por sua vez, trata da temática da repetição e da diferença; o quarto capítulo considera o movimento da ciência em outras direções; o quinto aborda questões sobre a conscientização de manutenção dos acervos; os capítulos seguintes discorrem sobre grandezas físicas presentes em formas de degradação de acervos e reúnem elementos para provar que, sob certos cuidados, o papel pode ser consultado durante várias gerações.

Para download do Ebook, acessar o site:

Repositório UFBA

Fonte: Blog (CRB-6)

Petição Contra o Sigilo Eterno dos Documentos

ACESSO A INFORMAÇÃO É UM DIREITO HUMANO, garantidos na DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS, ARTIGO 19 e na CONSTITUIÇÃO FEDERAL, ARTIGO 5o., INCISO XXXII.

Senhores (as) parlamentares, senhora Presidente, nós abaixo assinado somo CONTRA o sigilo eterno dos documentos públicos. Que haja um prazo máximo de 30 anos para o sigilo dos documentos públicos.

Essa é a convocação feita para que o cidadão possa demonstrar sua posição sobre o tema.

Se você é a favor da Petição, acesse o link e participe!

Petição Pública

%d blogueiros gostam disto: