Kertész doa o seu arquivo à Academia de Artes de Berlim

O escritor húngaro Imre Kertész, prêmio Nobel da Literatura em 2002, doou os seus arquivos literários à Academia de Artes de Berlim naquilo a que as autoridades alemãs consideram “um gesto de confiança e de reconciliação” deste sobrevivente do Holocausto.

“Imre Kertész é ao mesmo tempo uma testemunha e uma voz literária contra o esquecimento”, sublinhou o ministro da Cultura alemão, Bernd Neumannn, em comunicado citado pela France Press.

“É um gesto comovente de confiança e de reconciliação que Imre Kertész, como sobrevivente do Holocausto, dê a sua obra excecional a uma academia da capital alemã”, afirmou.

Os arquivos literários do escritor, que vive em Berlim, integram vários manuscritos de romances, cadernos de notas, ensaios, discursos, correspondência com editores, revistas e instituições.

Imre Kertész, de 83 anos, nasceu numa família judia de Budapeste. Foi deportado em 1944, quando tinha 15 anos, para Auschwitz e depois para Buchenwald. Foi libertado em 1945. A experiência nos campos de concentração atravessa toda a sua obra, desde o primeiro livro, ‘Sem Destino’, publicado em 1975.

Esta semana o autor anunciou que ia deixar a escrita por considerar que já não tem mais nada a dizer sobre este assunto: “Já não quero escrever. A obra que está tão relacionada com o Holocausto está concluída para mim”, explicou.

Em Fevereiro deste ano, Imre Kertész deu uma entrevista ao jornal ‘Le Monde’ na qual falava sobre o envelhecimento: “Estou doente. (…) Uma das consequências de eu estar a tomar medicação é que não morri, como seria de esperar, mas faltam-me frequentemente as palavras”. Disse-o com humor, como um aviso à jornalista que o entrevistava.

Fonte: Diário de Notícias

Anúncios

Literatura: Queda do Muro e Reunificação – Contextos

Mensagem enviada por Álvaro Almeida, do Centro de Informação & Bibliotecas Goethe-Institut de Salvador/BA.

“A queda do Muro de Berlim é um acontecimento histórico de grande relevância para a Alemanha e a política internacional. Esta semana se comemoram os vinte anos do evento e a imprensa internacional deu destaque ao fato em vasta cobertura. Edições especiais dos jornais e revistas em todo mundo documentaram em reportagens, entrevistas e ensaios as mudanças ocorridas em Berlim e na Alemanha desde a reunificação do país.
E nas artes, especialmente na literatura, que repercussão obteve o fato?
Visando possibilitar aos leitores conhecer as várias obras publicadas sobre o tema, enviamos anexo o informativo abordando o contexto e os autores:”
http://www.goethe.de/kue/lit/prj/lwe/hin/pt4278641.htm
%d blogueiros gostam disto: