III Simpósio Multiprofissional em Transplante Cardíaco

Banner_do_Simpósio

Simpósio de Fisiologia do Exercício

simposio de fisiologia do exercicio2013

Pesquisadores da USP criam sorvete que previne doenças

Um sorvete com menos gordura e mais vitaminas, fibras e cálcio, capaz de prevenir doenças como raquitismo e osteoporose, incentivar o sistema imunológico e até combater a desnutrição. Esse é o resultado de uma pesquisa realizada na Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), da USP (Universidade de São Paulo) de Piracicaba.

Segundo a pesquisadora Marina Leopoldina Lamounier, que desenvolveu o produto durante sua tese de mestrado, a principal vantagem do sorvete é aumentar a ingestão de cálcio. A pesquisa mostra que 100 gramas fornecem quase três vezes a quantidade recomendada da substância para o dia.

“Este dado é de grande importância, uma vez que a única fonte de cálcio disponível para o ser humano vem da dieta, sendo o nutriente importante para o completo crescimento e maturação dos ossos. Além disso, ele pode diminuir as taxas de perda óssea na vida adulta”, informa.

De acordo com a nutricionista Cida Campos, o novo sorvete também seria uma alternativa para quem tem problemas para digerir lactose (por ter um teor reduzido desse tipo de açúcar em relação ao convencional) ou não gosta de produtos lácteos.

O produto desenvolvido por Marina é enriquecido com linhaça e probióticos, além de fibras. “Os probióticos se mostram eficientes também ao processo de absorção de cálcio, à síntese de vitamina A e à estimulação do sistema imune”, informou.

Menos gordura

Além dos benefícios, o produto desenvolvido em Piracicaba possui menos gorduras, açúcares e sódio, produtos que, se consumidos em excesso, facilitam o desenvolvimento de doenças crônico-degenerativas.

No quesito gordura, por exemplo, o sorvete apresentou redução de 31% a 41% no teor em relação ao produto convencional, e pode ser considerado um produto de baixo valor energético. “O interesse principal é fazer com que o sorvete tenha múltiplas funções, pois o consumidor moderno deseja alimentos que satisfaçam e ao mesmo tempo sejam saudáveis”, afirma Marina.

Processo

O sabor do sorvete fica por conta da polpa de mangaba – fruta típica do cerrado brasileiro que é rica em vitamina C. Outros três sabores foram testados, mas esse foi o melhor avaliado.

Em uma escala de zero a dez, o produto recebeu sete pontos na análise que engloba, além do sabor, aspectos como aparência. O índice supera a média que indica os produtos com potencial de boa aceitação no mercado.

“A elaboração dos preparados em pó e dos sorvetes se constitui como forte potencial à comercialização, já que são ricos do ponto de vista nutricional e contemplam a demanda de todos os grupos biológicos desde crianças até idosos por serem atrativos e saudáveis”, afirma a pesquisadora, que foi orientada pela professora Jocelem Mastrodi Salgado, do Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição da Esalq.

“O sorvete pode tornar-se uma opção saudável de alimento, principalmente para as pessoas que, por falta de hábito, gosto ou intolerância à lactose, têm a ingestão de laticínios aquém das quantidades recomendadas. O valor nutricional e as características de alta digestibilidade fazem deste produto um alimento ideal para todas as idades, associando nutrição e prazer”, concluem as pesquisadoras. Mas vale ressaltar que o sorvete ainda não está disponível comercialmente.

Fonte: UOL

Palestra: Saúde Mental e CAPS

Curso de Reabilitação Cardiopulmonar e Metabólica

XXIV Congresso de Cardiologia do Estado da Bahia

Acessem e confiram:

I Simpósio de Fisioterapia da FTC

Hospital Martagão Gesteira promove a Semana de Combate ao Câncer Infantil

Em referência ao Dia Mundial de Combate ao Câncer, comemorado no dia 8 de abril, o Hospital Martagão Gesteira programou uma Semana de Combate ao Câncer Infantil, com atividades para os pacientes em tratamento oncológico e seus familiares. As atividades foram pensadas por uma equipe multidisciplinar e terão início no dia 09 e término no dia 13 de abril, com o objetivo de esclarecer dúvidas sobre a doença e o seu tratamento.

A semana começa com um Encontro de Pais e uma palestra com tema “Diagnóstico precoce do câncer”. Os pais e familiares receberão informações sobre os impactos físicos e psicológicos da doença e como proceder em relação a esses impactos. Na ocasião, o Hospital vai lançar a Cartilha Saiba Mais, com informações importantes sobre a Quimioterapia em crianças.
No segundo dia, o Martagão receberá a visita do cantor Jau, um encontro que promete um momento de música e descontração para as crianças em tratamento. Também estão programadas atividades como sessão fotográfica, cineminha, teatro de fantoches e apresentação do Coral do Martagão. Lanches especiais serão servidos para os pequenos, para que eles não esqueçam que são, antes de tudo, crianças.
Tanto no Brasil quanto no mundo, é cada vez mais importante chamar atenção sobre medidas de prevenção e de combate ao câncer. No adulto, em muitas situações, o surgimento da doença está associada aos fatores ambientais como, por exemplo, o fumo. Nas ocorrências da doença durante a infância, não se observa claramente essa associação. Logo, prevenção é um desafio para o futuro e deve ser dada ênfase à importância do diagnóstico precoce.

Acupuntura somente poderá ser exercida por médicos

Acupuntura somente poderá ser exercida por médicos, de acordo com julgamento do Tribunal Regional Federal da 1ª Região. A decisão, tomada terça-feira durante a análise de recurso interposto pelo Conselho Federal de Medicina, passa a valer a partir da publicação. O Conselho Regional de Farmácia já avisou que vai interpor recurso. Até o julgamento final, no entanto, a proibição irá valer.

“Vamos agora conversar para ver como será a aplicação desta decisão. Não queremos fazer caça às bruxas ou que consultórios de outras especialidades sejam da noite para o dia fechados”, afirmou o ex-presidente do Colégio Brasileiro de Acupuntura, o médico Dirceu Sales. Atualmente existem pelo menos 500 farmacêuticos, fora outros profissionais, que fazem tratamento com acupuntura em seus pacientes. “É hoje uma atividade legal. Essas pessoas ficarão sem emprego?”, questiona Paulo Varanda, do Grupo de Trabalho de Práticas Integrativas e Complementares.

O Conselho Federal de Medicina argumenta que somente médicos podem fazer diagnóstico e tratamento. “Mas o diagnóstico da acupuntura não é o tradicional. Não se avalia a presença de doença, mas o equilíbrio energético. Está muito distante do que é feito pela alopatia”, argumentou Sales.

A polêmica se arrasta desde 2001, quando o CFM ingressou com ações contra conselhos de outras categorias profissionais, como psicologia e terapia ocupacional, que permitiam que seus integrantes fizessem acupuntura nos pacientes. Todas as decisões garantiam o direito da prática da atividade as outras profissões. “Foi um ganho para a saúde, para a segurança do paciente”, afirmou o vice-presidente do Conselho Federal de Medicina, Carlos Vital Tavares Correa Lima.

Sales tem avaliação semelhante. “São usadas agulhas de vários tamanhos, em áreas nobres do corpo. O profissional precisa saber o que está fazendo”.

Varanda, no entanto, avalia que a decisão é um grande retrocesso. “Em outros países, várias categorias profissionais podem exercer a atividade. O que médicos querem é que nós paguemos pedágio. Eles querem controlar a atividade, dirigir clínica. É puramente comercial”.

O tema também é discutido no projeto de lei que define o que é ato médico, que tramita no Congresso. A proposta que está em análise não faz referência explícita à acupuntura. “A proibição é indireta, porque fala do uso de técnicas invasivas. Do jeito que está, dentro de algum tempo nem manicure vai poder atuar”, disse Varanda.

Fonte: Agência Estado

I Simpósio de Insuficiência Cardíaca

%d blogueiros gostam disto: