4º Congresso Brasileiro de Iconografia Musical & 2º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Sistemas de Informação em Música

Com duração prevista de 5 dias, o evento será realizado de 17 a 21 de julho de 2017 nas instalações do Espaço Cultural Arlindo Fragoso da Escola Politécnica da UFBA, distribuindo as suas atividades (conferência, palestras, comunicações, minicursos/oficinas e mesas redondas) nos seus três auditórios totalmente equipados com sistemas multimeios.

A programação completa deste evento conjunto inclui 2 conferências a cargo de convidados estrangeiros de reconhecido gabarito, 4 palestras com convidados nacionais de renome internacional e 4 mesas redondas integradas por relevantes convidados nacionais (sejam participantes do projeto RIdIM-Brasil ou da AIBM/IAML-Brasil), além de minicursos/oficinas relativas a iconografia musical, documentação musical e musicográfica, e uma série de sessões de comunicações relativas aos diversos aspectos deste evento conjunto. Enquanto os conferencistas e os palestrantes apresentarão novas propostas de abordagem conceitual em torno da iconografia e da informação musical, as mesas redondas realizarão exposições de temas exemplares relativos às demais questões e particularidades relativas à documentação musical musicográfica e imagética, na perspectiva multi-, inter- e transdisciplinar, no âmbito dos estudos musicológicos, de história da arte, e da cultura e patrimônio em geral, assim como do seu tratamento e gestão enquanto objeto informacional.

Outras informações podem ser obtidas no seguinte site:

Iconografia Musical & Sistema de informação em música

13º Festival Internacional de Artistas de Rua da Bahia


O 13º Festival vai acontecer nas cidades de Salvador, Jequié, Vitória da Conquista e Madre de Deus, entre os dias 17 a 26 de Março deste ano. Esta edição vai contar com apresentações de artistas do Brasil, Argentina, Itália, Reino Unido, Chile, Alemanha, Uruguai, Bélgica e Rússia.

Programação:

Salvador
17/03 a partir das 19h: Largo de Santo Antônio Além do Carmo.
18/03 a partir das 17h: Largo de Santo Antônio Além do Carmo.
19/03 a partir das 17h: Orla da Ribeira (Mercado Iaô).
Jequié
21 e 22/03 a partir das 19h: Praça Rui Barbosa.
Vitória da Conquista
23 e 24/03 a partir das 17h: Centro Cultural Glauber Rocha
Madre de Deus
26/03 a partir das 17h: Orla

Para saber a lista dos artistas, clique aqui

Todo o evento será gratuito. Vale a pena prestigiar.

Outras informações sobre o Festival através do site oficial: http://festivalderua.com/

Congresso da UFBA|UFBA 70 anos!

UFBA 70 ANOSEm comemoração aos 70 anos da instituição, o Congresso da Universidade Federal da Bahia (UFBA) reunirá, entre 14 e 17 de julho, debates sobre os desafios da instituição e apresentação do conhecimento produzido na instituição,  estimulando a integração da comunidade universitária.

O evento irá revelar aproximadamente 2,2 mil propostas de apresentações de trabalhos, mesas, fóruns, intervenções artísticas e práticas integrativas de saúde. As inscrições são feitas do site Congresso UFBA.

Uma conferência da filósofa e professora da USP Marilena Chauí, intitulada “Contra a Universidade Operacional e a Servidão Voluntária”, marcará a abertura do congresso, no dia 14 de julho, às 18h, no Teatro Castro Alves. Haverá ainda no mesmo dia uma programação especial de atrações artísticas da UFBA. A principal será a apresentação está marcada para 17h, na área externa do teatro, com 70 percussionistas ligados a rituais de matrizes africanas coordenados por Jorge Sacramento.

O congresso ocupará ainda cerca de 53 salas dos Pavilhões de Aulas (PAFs) 1 e 3, no campus de Ondina, onde acontecerão as apresentações de trabalhos. Além dos dois PAFs, auditórios do campus de Ondina, do PAF 5 e da Reitoria abrigarão farta programação de mesas e fóruns temáticos.

As atividades do Congresso ocorrerão em três turnos: das 08h às 12h15, das 14h às 17h e das 18h30 às 21h.  As intervenções artísticas acontecerão nos intervalos entre 17h às 18h30. As atrações estão em fase final de seleção pela Pró-Reitoria de Extensão. Haverá ainda, na Praça das Artes, em Ondina, um espaço para práticas integrativas de saúde, como massoterapias diversas e acupuntura.

Acesse o site do evento e tenha acesso a programação completa e outras informações úteis:

Congresso UFBA|UFBA 70 anos

A Universidade Federal da Bahia (UFBA) foi a melhor instituição de ensino superior do Nordeste no ranking divulgado na segunda-feira, 11, pelo Center for World University Rankings (Cwur).

O levantamento internacional lista anualmente as mil melhores universidades do mundo e, no Brasil, apenas 17 apareceram na lista, com a UFBA aparecendo na 15ª posição.

Fundação lança edital para capacitação de profissionais de Bibliotecas Públicas, Comunitárias e Espaços de Leitura

CURSOA Fundação Pedro Calmon/Secretaria de Cultura do Estado da Bahia lança nesta segunda-feira (25) edital para Curso de Capacitação para Auxiliares de Bibliotecas Públicas, Comunitárias e Espaços de Leitura. A iniciativa é da Diretoria de Bibliotecas Públicas da Fundação com o objetivo de capacitar funcionários que atuam em bibliotecas públicas estaduais e municipais, comunitárias e espaços de leitura. As inscrições são gratuitas e estão abertas até dia 6 de maio.

O curso terá 90 vagas e será realizado na Biblioteca Pública do Estado da Bahia (Barris), com conteúdos teóricos e práticos voltados para os profissionais que atuam em ambientes de promoção e disseminação do livro e da leitura. A carga horária é de 40h.

Para que seja efetivada a inscrição, o proponente deverá encaminhar a Ficha de Inscrição, preenchida em todos os campos de informação para o seguinte endereço eletrônico: gesb.fpc@fpc.ba.gov.br ou, via postal com Aviso de Recebimento (AR), para o seguinte endereço: Avenida Sete de Setembro, 282, sala 612, 6º andar, Centro – Salvador (BA), CEP: 40060-001.

 Acesse aqui a Ficha de Inscrição e Edital.

Fonte: Fundação Pedro Calmon

Palestra – Digitalizando Documentos Ameaçados

palestra digitalizaçãoAs 450 mil imagens de Livros de Notas produzidos na Bahia em mais de dois séculos, 1664 a 1889 e custodiados no Arquivo Público do Estado da Bahia (APEB) – unidade vinculada à Fundação Pedro Calmon/ Secretaria de Cultura do Estado, estão sendo digitalizadas e estarão disponíveis para consulta online em dois anos. Mas, antes disso, quem quiser conhecer mais sobre estes documentos, e o processo de digitalização que está sendo coordenado pelo professor e pesquisador Urano Andrade no Arquivo, poderá assistir à palestra que o mesmo dará, dia 7 de abril, às 14h30, na unidade, localizada na Baixa de Quintas, em Salvador. A palestra Digitalizando documentos ameaçados: os livros de notas da Bahia 1664-1889 será aberta ao público, sem inscrição.

Iniciada em 16 de maio de 2015, a digitalização é fruto de projeto idealizado pelo historiador, professor universitário e escritor, João José Reis, em parceria com a Fundação e o Programa de Pós-Graduação em História (PPGH) da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH) da Universidade Federal da Bahia (UFBA), além de apoio da Biblioteca Britânica, mediante o Endangered Archives Program (Programa Arquivos Ameaçados de Extinção). A partir de maio de 2017, os documentos digitalizados serão disponibilizados online pela Biblioteca Britânica e poderão ser consultados, sem ônus, em casa ou nas universidades a partir dos computadores dos interessados.

Projeto

O projeto visa assegurar a preservação, em formato digital, de parte do extenso acervo documental custodiado pelo Arquivo Público do Estado da Bahia. “A série documental escolhida para este projeto, os Livros de Notas dos tabeliães, é fundamental para a escrita da história social e econômica da Bahia. São documentos que já vêm sendo usados há décadas pelos pesquisadores. São, com freqüência, consultados pelo público em busca de documentos sobre história familiar, cadeias sucessórias de imóveis, limites de propriedade, entre outros assuntos”, explica João José Reis. Por sua antiguidade e fragilidade, os documentos correm risco de extinção. Segundo Urano, até o momento, foram digitalizadas 120 mil imagens. “Essa primeira fase do projeto corresponde aos livros que se encontram em estado delicado de conservação, o que implica em um processo mais lento. A próxima etapa será dinamizada devido a melhores condições dos livros”, revela.

Fonte: Fundação Pedro Calmon

IFBA promove exposição para contar seus 106 anos

Expo IFBA

Uma viagem no tempo, através de fotografias que apresentam a arquitetura dos prédios antigos e o cotidiano de estudantes e servidores no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA), ao longo de seus 106 anos. É o que promete a exposição “A Fotografia como suporte à Memória”.

A exposição que ficará aberta à comunidade, gratuitamente, entre os dias 22 e 31 de março, é resultado do projeto de extensão de mesmo nome, desenvolvido em 2015 pela Coordenação de Memória Institucional, no qual foi feito um levantamento e foram coletadas fotografias do acervo do IFBA. “É a oportunidade de conhecer e apreciar, através da fotografia, a história da educação profissional e tecnológica na Bahia, constituindo-se, sem dúvida, uma ferramenta para evitar o esquecimento e garantir a memória”, ressaltou a organizadora do evento e coordenadora de memória institucional, Tassila Ramos.

Ainda de acordo com Tassila, a mostra percorrerá outros campi do Instituto que tenham interesse em recebê-la, como o campus Salvador, que será o próximo. “A fotografia também conta histórias, revela ambientes, fala sobre pessoas, ou seja, é um suporte para a memória, necessitando ser preservada e disponibilizada com os novos recursos tecnológicos existentes, no caso a digitalização”, finalizou Tassila.

A iniciativa tem o apoio das pró-reitorias de Extensão (Proex), de Desenvolvimento Institucional e Infraestrutura (Prodin); das diretorias de Gestão da Comunicação Institucional (Dgcom) e de Gestão da Tecnologia da Informação; além do curso superior de tecnologia em eventos.

Serviço:
Exposição fotográfica da história do IFBA “A fotografia como suporte à memória”.

De 22 a 31 de março de 2016, das 07 às 19 horas.

Fotógrafo brasileiro lança livro sobre a crise mundial dos rinocerontes

a jornada do RinoceronteO fotógrafo documental brasileiro Érico Hiller lança no dia 3 de março, na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi, em São Paulo, o livro A Jornada do Rinoceronte, que retrata a atual situação dos rinocerontes, espécie ameaçada de extinção por conta da caça e do comércio ilegal de seus chifres. Segundo dados da ONG Save The Rhino, os rinocerontes podem ser extintos da natureza até 2026. 

Durante quase uma década, Érico se dedicou a pesquisar e entender mais sobre os rinocerontes e a situação atual da espécie. Neste período, o profissional viajou por dois anos para países como Índia, Vietnã, Zimbábue, Moçambique, África do Sul e Quênia para registrar o drama da caça furtiva deste animal que, segundo ele, “representa a forma como tratamos a vida na Terra”. Trata-se de uma grande narrativa em imagens sobre a insensatez humana. “Eis um ponto interessante, não é um livro sobre as belezas do rinoceronte, mas sobre o que as pessoas estão dispostas a fazer para matar o animal e depois vender partes de seu corpo no mercado negro. Isso pode fazer com que o rinoceronte chegue a uma rápida extinção e, após sobreviverem por mais de 50 milhões de anos, podem ter sua jornada interrompida no tempo de nossas vidas”, diz Hiller. O fotógrafo registrou imagens sensíveis, mas impactantes sobre pessoas que vivem o dia a dia dos rinocerontes, tanto dos que protegem como o cenário da matança. 

Após esta jornada, Érico Hiller compilou todas as informações nessa obra inédita na forma de um diário de viagens com relatos em primeira pessoa. Não se trata apenas de um livro com fotografias, mas de um projeto que tem como base o engajamento, a iniciativa da conservação. Érico conta que pretende conscientizar a população sobre a prevenção das cinco espécies de rinocerontes que ainda são encontradas no planeta e, consequentemente, poder oferecer ferramentas de informação e educação para aqueles que ainda supostamente consomem os chifres de rinoceronte na Ásia. 

Parte do valor arrecadado com as vendas de livros será doada para a causa dos rinocerontes, sendo direcionada para instituições que lutam pela preservação destas espécies no mundo. A proposta do fotógrafo é gerar reflexões e discussões por meio de seus trabalhos ambientais e humanitários. “Meu grande objetivo é usar a força da imagem para seguir semeando minha mensagem adiante e chamar a atenção do mundo para assuntos como este”, afirma Hiller.

Com um acabamento impecável, impresso em papel italiano Garda, o livro de 252 páginas, conta com 130 imagens e foi minuciosamente elaborado pelo autor juntamente com a Editora M’Arte para que tivesse um formato de livro de mão, leve e que pudesse ser carregado e lido em qualquer lugar. 

Érico Hiller atua como fotógrafo documental há doze anos e colabora com diversas publicações, como a National Geographic Brasil, Rolling Stone e Marie Claire. Em 2008 produziu um projeto sobre as tensões sociais e ambientais em grandes cidades dos países emergentes. Em 2011 Érico realizou um grande ensaio documental que alerta sobre a situação de pontos de nosso planeta que poderão simplesmente desaparecer. A Jornada do Rinoceronte é seu terceiro livro. Para conhecer o trabalho do fotógrafo visite seu perfil no Instagram @ericohiller

Serviço:

Lançamento do livro “A Jornada do Rinoceronte” 
Data: dia3 de março
Horário: à partir das 18h
Local: Shopping Iguatemi – Livraria Cultura, Av. Brigadeiro Faria Lima, em São Paulo
Número de páginas: 252
Editora: M’Arte
Valor do livro: R$ 98,00

%d blogueiros gostam disto: