III Seminário Internacional de História Luso-Brasileira: Sertão e Litoral

O III Seminário Internacional de História Luso-Brasileira: Sertão e Litoral pretende apresentar a produção acadêmica sempre renovada em torno desses espaços, construídos sobretudo a partir da época moderna, e que adquiriram múltiplos sentidos na história brasileira e do império ultramarino, atualizando-se no Brasil contemporâneo como objeto de pesquisa e expressão cultural.
Sertão e litoral correspondem na história luso-afro-brasileira não apenas a supostas delimitações naturais do território, mas a espaços constituídos e transformados ao longo da história. Suas demarcações se devem, de modo geral à relação entre litoral, atividade econômica para o mercado externo, sedes urbanas e civilização. Ao sertão reservou-se a barbárie, um mundo desconhecido e ermo, ao mesmo tempo em que o interior pode sugerir um universo a ser desbravado. Nesses dois terrenos, definidos face um ao outro, se instalam variadas formas de domínio da América portuguesa e da África e toda uma reflexão historiográfica. As perspectivas do sertão e do litoral se fazem sentir também na literatura, sendo uma imagem recorrente ainda hoje na ficção portuguesa, africana como o foi na produção regionalista brasileira.

Acesse a íntegra da Programação

III Seminário O Arquivo Nacional e a História Luso-Brasileira: Sertão e Litoral
Local: Auditório principal do Arquivo Nacional – Rio de Janeiro
Tel.: 21-21791253 / 21791256
E-mail: difusaoacervo@arquivonacional.gov.br e pi@arquivonacional.gov.br
Inscrição grátis
Serão concedidos certificados de participação

Anúncios

Botafogo é campeão baiano da segundona 2012

Após garantirem a classificação para a 1ª Divisão do Campeonato Baiano, Botafogo e Jacuipense disputaram a final da 2ª Divisão do Campeonato Baiano. Apesar de ter vencido a primeira partida por 1×0, dentro de seus domínios, o Jacuipense não conseguiu superar a equipe do Botafogo.

Com gols de Maicon (3 do 1º tempo) e Rogério (39 do 2º), o Alvirrubro voltou a ganhar um título baiano.

O Botafogo Sport Club, fundado em 1914, é o 4º maior vencedor do Campeonato Baiano, com 7 títulos da 1ª Divisão e 5 títulos do Torneio Início. A última vez que a equipe chegou a uma final da primeira divisão foi no ano de 1977, quando ficou com a 2ª colocação.

Apesar de levar mais um título para sua galeria, a Diretoria do Botafogo abriu mão da disputa da Taça Governador do Estado, competição que garante ao vencedor uma vaga para a Copa do Brasil e também para a série D do Brasileirão.

Ao contrário do Campeão Botafogo, o Jacuipense já confirmou a sua participação neste certame, que é um grande atrativo, tendo em vista que os maiores clubes do Estado, Bahia e Vitória, não disputam com suas equipes principais.

Ypiranga

Enquanto a Diretoria do Jacuipense ainda comemora o acesso para a 1ª Divisão, a Diretoria do “Mais Querido” divulgou nota oficial em seu site, comunicando que entrará com uma denúncia no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), com a alegação de que 2 jogadores do Jacuipense estariam irregulares para a disputa dos jogos da semifinal.

Mais na imprensa sobre o título e as polêmicas da 2ª divisão:

Ibahia

Bahia Notícias – Presidente do Botafogo

Globo Esporte

Bahia Notícias – Botafogo é o Campeão

Metro1 – Botafogo Campeão

Bahia Notícias – Ypiranga entra na Justiça

Site Oficial confirma show de Jon Anderson em Salvador

Jon Anderson, a Voz do Yes pela primeira vez na Bahia

Este será um momento inesquecível para a comunidade rock da Bahia. Pela primeira vez em Salvador, um dos maiores nomes do Rock Progressivo de todos os tempos, Jon Anderson!

Multi-instrumentista, foi membro fundador do respeitável grupo Yes, um dos maiores expoentes do rock progressivo. Com a banda, lançou 18 álbuns de estúdio, alcançando o sucesso mundial.

Além do Yes, obteve muito sucesso nos trabalhos realizados em parceria com o Vangelis. Também colaborou em trabalhos de outros artistas, e possui no vasto currículo 14 álbuns solo.

O público baiano, que costuma lamentar a ausência de Salvador nas listas de bons shows internacionais, tem agora um bom motivo para comemorar.

O show está marcado para o dia 19/09/2012, no Teatro Castro Alves.

Além de Salvador, Recife, Curitiba, Rio de Janeiro e Belo Horizonte fazem parte da turnê.

Reportagem sobre o show aqui

Mais sobre Jon Anderson em seu site oficial

Datas divulgadas no site oficial:

11/09/2012 Auditorio Nacional Adela Reta – Montevideo, Uruguay
14/09//2012 Teatro Positivo – Curitiba, Brazil
15/09/2012 Teatro Santa Isabel – Recife, Brazil
19/09/2012 Teatro Castro Alves – Salvador, Brazil
21/09/2012 Centro Cultural Joao Nogueira – Rio de Janeiro, Brazil
26/09/2012 Palacio das Artes – Belo Horizonte, Brazil

Jon Lord partiu da escuridão para a luz

Com essa mensagem, o site oficial de um dos melhores músicos de todos os tempos comunicou o falecimento de Jon Lord. Ele estava internado em uma clínica de Londres e sofreu embolia pulmonar como consequência de um câncer no pâncreas.
Com uma gloriosa trajetória musical, Jon Lord era uma figura muito querida na cena musical. Membro fundador do Deep Purple, uma das maiores bandas de todos os tempos, se destacou pela destreza na qual tocava o seu famoso órgão Hammond. Junto com o baterista Ian Paice, permaneceu no Deep Purple em todas as formações da banda, até a saída em 2002. A separação não foi por motivos de brigas, apenas o músico queria se dedicar a um novo projeto erudito. De 2004 a 2011, gravou cinco discos orquestrais e todo ano, estava entre os mais votados do Hall da Fama da rádio Classic FM, de Londres.

Na Universidade de Leicester, ganhou o título de doutor honoris causa.

Membros do Deep Purple e outros grandes músicos publicaram nota sobre o ocorrido:

Ian Gillan:
“Nosso querido Jon faleceu nesta segunda-feira, 16 julho de 2012. Nós perdemos um amigo querido, um irmão e um músico maravilhoso. Sua dignidade e graciosidade tocou a todos nós. Sua música foi uma inspiração e nos levou para lugares além da nossa imaginação… Um homem verdadeiramente grande. Nós humildemente expressamos nosso amor eterno e grande respeito”.

Ritchie Blackmore:
“Ficamos com o coração partido ao ouvir sobre a passagem de Jon Lord. Homem e músico incrível. Que melhor maneira de lembrar senão pela música. Lendas nunca morrem”.

David Coverdale:
“Todos os membros do Whitesnake e todos do Whitesnake.com desejam expressar suas sinceras condolências à família de Jon, amigos e fãs … ‘Foi uma alegria absoluta e um prazer para mim conhecê-lo e trabalhar ao lado dele. Já sinto sua falta’.”

Lars Ulrich:
“Desde que meu pai me levou para vê-los em 1973 em Copenhagen, na impressionante idade de 9 anos, o Deep Purpletem sido a mais contante, contínua e inspiradora presença musical em minha vida. Eles significaram mais para mim do que qualquer outra banda que existiu, e tiveram uma grande influência em moldar quem eu sou. Então obviamente eu estou mais que deprimido, triste e devastado pela notícia de hoje sobre o falecimento do tecladista Jon LordNós todos somos culpados de soltarmos adjetivos como “único” e “pioneiro” quando queremos descrever nossos heróis e pessoas que nos tocaram, mas não há palavras que se encaixam melhor do que essas no momento e simplesmente não há outro músico como Jon Lord na história do hard rock. Ninguém. Ponto final.

Slash:
“Triste dia no Rock n’ Roll, Jon Lord faleceu. Um dos maiores e mais pesados sons no Heavy Metal. Singular.”
Iron Maiden:
“Muito triste por ouvir que Jon Lord se foi”.
Humberto Gessinger:
“Valeu muito, Jon Lord! RIP”
Mike Portnoy:
“Um dos pioneiros dos teclados ‘heavy’ e um verdadeiro cavalheiro”
Geezer Butler:
“[Estou] Muito triste por saber da morte de Jon, depois de uma batalha contra um câncer demoníaco. Um dos grandes músicos da minha geração. Tony Iommi [guitarrista do Sabbath] trabalhou recentemente com Jon, e disse que era um cara adorável”.
Rick Wakeman:
“A primeira vez que tomei conhecimento de JON LORD foi em meados dos anos sessenta, quando o “Hush” foi lançado e eu comprei o “Shades of Deep Purple que era um álbum bem à frente de seu tempo. Por razões óbvias, eu prestei atenção especial ao estilo e som do órgão, que era muito diferente de como os outros músicos estavam usando o Hammond. Eu me tornei um admirador real e fã de Jon aquele dia e assim permaneci com tudo que ele fez

Nós nos tornamos verdadeiros amigos poucos anos atrás, embora tivéssemos nos encontrado em várias ocasiões antes disso. Fizemos palestras juntos em conservatórios de música, nos reunimos para o almoço e, mais importante fizemos músicas juntos. Nós escrevemos uma peça, há 12 meses atrás, para o Sunflower Jam no Royal Albert Hall. Nós escrevemos esta peça juntos no John Henry’s Studios em Londres e foi tão fácil, porque tínhamos estilos tão diferentes e porque Jon estava se concentrando fortemente no Hammond e eu nos sintetizadores, a mistura foi completamente mágica. A peça foi realizada apenas uma vez e me disseram que foi filmada, embora eu nunca tenha visto o filme.

Nós nos sentamos no camarim que nós compartilhamos no Royal Albert Hall e fizemos planos para fazer um álbum juntos. Nós dois estávamos absolutamente convencidos de que poderíamos chegar a algo muito especial com nossos estilos misturados muito bem juntos. Nosso amor pela música clássica e também por trabalhar esse estilo dentro do rock foi o que também completou a ligação. Combinamos de nos encontrar mais tarde naquele mês.

Uma semana antes de quando deveríamos nos reunir, Jon me ligou com a notícia de que ele estava doente. Ele estava muito positivo e disse que, na verdade, nunca tinha se sentido melhor em sua vida e que por isso ele iria vencer levasse o tempo que levasse, e por isso, suspendesse o nosso projeto, que entrou em espera.

Nós conversamos algumas vezes depois e a última mensagem que recebi foi que ele estava respondendo bem ao seu tratamento. A notícia hoje me feriu como nenhuma outra perda de um músico que conheci. Eu só posso agradecer-lhe o legado que ele nos deixou a todos com sua grande música, grande visão e por sua bondade como ele era uma das pessoas mais gentis e bondosas que eu já tive o prazer de ser capaz de chamar meu amigo. Meu coração está com sua esposa Vicki e toda sua família.

Considerações:
Como fã de teclado, fico a imaginar como seria magnífico um trabalho em conjunto de Jon Lord com Rick Wakeman.

II Fórum Baiano de Arquivos e Bibliotecas Públicas

II Fórum Baiano de Arquivos e Bibliotecas Públicas,  a ser realizado entre os dias 25 e 26 de julho de 2012, tem por finalidade reunir profissionais e interessados na gestão de Arquivos e Bibliotecas Públicas. Ao realizar este evento a Secretaria de Cultura, através da Fundação Pedro Calmon, pretende sensibilizar a comunidade baiana para a efetividade do Sistema Estadual de Cultura por meio do fortalecimento dos Sistemas Estaduais de Arquivos e Bibliotecas.

O IV Encontro Baiano de Bibliotecários de Bibliotecas Públicas e o VI Encontro Baiano de Arquivos Municipais são destinados, especificamente, aos profissionais bibliotecários e arquivistas, e serão realizados no dia 27 de julho.

Valor da Inscrição:  Profissional: R$ 30,00 e Estudante: R$ 15,00

Para fazer o Pagamento: O pagamento deve ser feito através de DEPÓSITO BANCÁRIO (DIRETAMENTE NO GUICHÊ DE CAIXA) IDENTIFICADO COM O NOME DO PARTICIPANTE OU TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA, no Banco do Brasil, agência 3832-6, conta corrente: 991737-3, em nome da Fundação Pedro Calmon – BA SCU SCT FUND P CALMON RECEITA.

Pré-Inscrição, Programação e outras informações no site oficial do evento: II Fórum Baiano de Arquivos e Bibliotecas Públicas do Estado da Bahia

Confirmação: A cópia de comprovante de depósito bancário devidamente identificado deverá ser enviada por fax (71) 3116-6841 ou por email (forum.baiano@fpc.ba.gov.br). Estudantes devem enviar o comprovante de matrícula do semestre em curso.

OBS.: Tendo em vista a quantidade de inscrições disponíveis para profissionais, técnicos e dirigentes de arquivos e biblioteca públicas as inscrições para estudantes serão limitadas a 18 para estudantes de Arquivologia e 18 para estudantes de Biblioteconomia.

Dilma veta garantia de efeitos jurídicos para documentos digitalizados

A presidente Dilma Rousseff vetou a equiparação, para fins probatórios, dos documentos digitalizados aos seus originais. Dilma sancionou projeto tratando da elaboração e do arquivamento de documentos em meios eletromagnéticos, na forma da Lei 12.682/2012, mas rejeitou todos os artigos que garantiam o mesmo efeito jurídico aos documentos digitalizados.

De acordo com o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 11/2007, da então deputada Angela Guadagnin (PT-SP), o documento digital e sua reprodução teriam “o mesmo valor probatório do documento original, para todos os fins de direito”. A proposta também garantia aos documentos digitalizados o mesmo efeito jurídico conferido aos documentos microfilmados.

Na fundamentação dos vetos, com base em parecer do Ministério da Justiça, a presidente afirma que “ao regular a produção de efeitos jurídicos dos documentos resultantes do processo de digitalização de forma distinta, os dispositivos ensejariam insegurança jurídica”. Além disso, Dilma destaca que o projeto trata de forma assistemática os conceitos de “documento digital”, “documento digitalizado” e “documento original”.

A presidente vetou, ainda, artigos que autorizavam a eliminação de documentos originais e em forma eletrônica, com ressalva para os considerados de valor histórico. Essa previsão, segundo Dilma, não observa o procedimento previsto na legislação arquivística.

Com os vetos, a lei apenas exige que o processo de digitalização empregue certificado digital emitido de acordo com a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil) e que empresas privadas e órgãos públicos adotem sistema de indexação para permitir a conferência da regularidade dos documentos.

Fonte: Senado Federal

Palmeiras é o Campeão da Copa do Brasil de 2012

Em uma campanha invicta, o Palmeiras tornou-se o Campeão da Copa do Brasil de 2012.

Após vencer o Coritiba na primeira partida por 2×0, a equipe paulista soube administrar a vantagem, segurou a pressão do adversário e fez por merercer o título. É a volta por cima de uma equipe que foi muito contestada no início da temporada, e em campo soube superar os obstáculos, para a alegria de sua torcida.

Abaixo, reportagem do portal IG:

Com 10ª taça, Palmeiras torna-se clube com maior número de títulos nacionais

Triunfo na Copa do Brasil faz time alviverde abrir vantagem sobre os rivais de todo o país

O “Campeão do Século XX” está de volta ao topo. A conquista da Copa do Brasil 2012, na última quarta-feira, faz o torcedor do Palmeiras comemorar, sem qualquer dúvida, o status de maior vencedor de torneios nacionais da história. Se forem levados em conta os títulos da Taça Brasil, Roberto Gomes Pedrosa, do Campeonato Brasileiro – todos reconhecidos pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol – e da Copa do Brasil, o time alviverde soma 10 troféus. Nenhuma equipe do país possui tais números.

“Não podemos deixar passar essa chance de restabelecer a hegemonia nacional do Palmeiras, é importante estar no topo, é muito bom sempre ficar em primeiro”, exalta Ademir da Guia, ídolo da histórica Academia do clube dos anos 60 e 70.

Na disputa dos títulos nacionais, independentemente da Copa dos Campeões, o Palmeiras supera o Santos. A última conquista do time da Baixada foi a Copa do Brasil de 2010. Além disso, o clube da Vila Belmiro ganhou o Campeonato Brasileiro duas vezes, a Taça Brasil em cinco oportunidades e o Roberto Gomes Pedrosa em 1968 – são nove no total.

Os clubes mais populares do país também veem o distanciamento do Palmeiras com mais uma conquista. Com o título de 1987 oficializado no ano passado pela CBF, o Flamengo soma oito, seis edições do Campeonato Brasileiro e duas da Copas do Brasil. O Corinthians contabiliza o mesmo número, mas são cinco troféus do Brasileirão e outros três da Copa do Brasil.

Outro rival alviverde na capital paulista, o São Paulo aparece na quinta colocação, com seis conquistas do Campeonato Brasileiro. O clube de Morumbi segue, todavia, com a frustração de nunca ter conseguido levantar a Copa do Brasil, após a eliminação para o Coritiba na semifinal de 2012.

O título desta quarta-feira em Curitiba traz um sentimento especial aos heróis de conquistas palmeirenses do passado, como é o caso do ex-atacanta César Maluco. “É importante o Palmeiras alcançar essa posição de líder de torneios nacionais, principalmente para aqueles que ajudaram a construir isso e conquistaram cinco títulos pelo clube, como é o meu caso, do Ademir da Guia e do Dudu”, ressalta.

Veja tabela com as conquistas de cada equipe:

Titulo
Time Taça Brasil Robertão Brasileirão Copa do Brasil Total 
Palmeiras 2 (1960 e 1967) 2 (1967 e 1969) 4 (1972, 1973, 1993 e 1994) 2 (1998 e 2012) 10
Santos 5 (1961 a 1965) 1 (1968) 2 (2002 e 2004) 1 (2010) 9
Flamengo 6 (1980, 1982,1983, 1987, 1992 e 2009) 2 (1990 e 2006) 8
Corinthians 5 (1990, 1998, 1999, 2005 e 2011) 3 (1995, 2002 e 2009) 8
São Paulo 6 (1977, 1986, 1991, 2006, 2007 e 2008) 6
Grêmio 2 (1981 e 1996) 4 (1989, 1994, 1997 e 2001) 6
Cruzeiro 1 (1966) 1 (2003) 4 (1993, 1996, 2000 e 2003) 6
Vasco 4 (1974, 1989, 1997 e 2000) 1 (2011) 5
Internacional 3 (1975, 1976 e 1979) 1 (1992) 4
Fluminense 1 (1970) 2 (1984 e 2010) 1 (2007) 3
Bahia 1 (1959) 1 (1988) 2
Botafogo 1 (1968) 1 (1995) 2
Sport 1 (1987) 1 (2008) 2
Atlético-MG 1 (1971) 1
Guarani 1 (1978) 1
Coritiba 1 (1985) 1
Atlético-PR 1 (2001) 1
Criciúma 1 (1991) 1
Juventude 1 (1999) 1
Santo André 1 (2004) 1
Paulista 1 (2005) 1

*com GE

%d blogueiros gostam disto: