Projeto “Momentos da Leitura”

Anúncios

Warner lança box especial do a-ha

A Warner Music está lançando o Original Album Series dedicado ao a-ha. Os 5 primeiros álbuns da banda, reunidos em formado digipack, remasterizados e contendo as capas dos respectivos álbuns.

Este lançamento reune 51 músicas e uma coleção de hits mundiais, como “Take on Me”, “Hunting High and Low”, “The Sun Always Shines on Tv”, “Cry Wolf”, “Stay on Roads”, “Touchy”, “You are the one”, “The Living Daylights”, “The Blood That Moves The Body”, “Crying in the rain”,”Early Morning”, “Dark Is The Night For All”, “Move To Memphis” etc.

A pré-venda já pode ser feita através da Saraiva:

Originals Album Serie – A-ha – Box Com 5 CDs – Digipack

“Ending on a High Note” – a-ha live!

No ano passado, após uma extensa turnê mundial (com passagem pelo Brasil)  a banda encerrou as atividades. Como registro, foi lançado o  “Ending on a High Note”, gravado nas últimas apresentações da banda em Oslo, capital da Noruega. Disponível nas lojas em CD, DVD e Blu-ray.

 

Morten, Pal & Mags – Trajetória de grandes hits e turnês mundias de sucesso.

Seminário “O Direito Autoral e os Documentos de Arquivo”

LOCAL: Arquivo Nacional – auditório principal Praça da República, 173 – Centro – RJ / tel. 21 2179 1273

DATA: 10 de agosto de 2011

HORÁRIO: 9h às 17h

OBJETIVO: Discutir a Lei de Direitos Autorais e sua aplicação nos documentos de arquivo de instituições públicas e privadas.

PÚBLICO ALVO: Arquivistas, funcionários de instituições detentoras de acervos arquivísticos, advogados, pesquisadores, artistas, fotógrafos, cinegrafistas, estudantes.

PROGRAMAÇÃO:

9h – Abertura Diretora-Geral Substituta do Arquivo Nacional – Maria Izabel de Oliveira

9h 30 – Mesa 1:
As instituições de guarda e a política de acesso a documentos de arquivo Mediador: Paulo Knauss (Diretor Geral do Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro)
1º palestrante: Carmen Moreno (coordenadora-geral de Processamento e Preservação do Acervo – Arquivo Nacional)
2º palestrante: representante da Biblioteca Nacional
3º palestrante: representante do Instituto Moreira Sales
4º palestrante: representante do Museu da Imagem e do Som
5º palestrante: Lacy Barca (Gerente de Documentação e Pesquisa da Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto)

14h – Mesa 2:
Aspectos éticos e legais do Direito Autoral Mediador: Ivan Neves (Assessor Especial do Ministério da Justiça)
1º palestrante: Representante do Departamento de Direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro
2º palestrante: Doutora Eliana Mattar (Advocacia Geral da União)
3º palestrante: Doutor Sergio Branco (Creative Commons / Fundação Getúlio Vargas)
4º palestrante: Rejane Beatris Schneider (Escritório de Direito Autoral da Biblioteca Nacional)
5º palestrante: Sr. Ronaldo Bastos ou representante do ECAD

17h – Encerramento.

Haverá certificado de participação
Entrada franca

Seminário Infraestrutura (Portos e Mobilidade Urbana)

Noite Fora do Eixo Salvador – JULHO

Arquivo imortaliza cenário do punk rock da Alemanha oriental

BERLIM (Reuters Life!) – Um pioneiro do punk rock da antiga Alemanha Oriental comunista (RDA) abriu o primeiro arquivo mundial sobre a cultura jovem da RDA que sobreviveu à opressão e infiltração por parte do regime repressor daquele Estado.

Michael Boehlke, que liderou uma banda chamada Planlos (“Sem Objetivo”), disse à Reuters que a opção por ser roqueiro punk afetou cada aspecto da vida das pessoas que a fizeram.

Ser punk no Estado comunista significava o fim de qualquer perspectiva de emprego ou ensino superior. Interrogatórios policiais, prisões e pressão da polícia secreta para tornar-se informante sobre o cenário punk local caracterizavam o cotidiano dos roqueiros.

“A polícia me interrogava todos os dias”, disse Boehlke, acrescentando que passar tempo na prisão era uma possibilidade sempre presente para todos.

Depois que ele usou uma camiseta feita em casa ostentando o grito de batalha “quando a justiça vira injustiça, a resistência se torna dever”, ele foi ameaçado com três anos de prisão, até que sua namorada concordou em servir de informante. Boehlke disse que ela não revelou à polícia nada de realmente importante sobre o mundo punk.

E, embora a temida polícia secreta Stasi nunca tenha conseguido infiltrar sua banda, a Planlos, dois integrantes de outra banda punk importante da Alemanha Oriental, a Wutanfall (“Ataque de Raiva”) acabaram revelando ser informantes do governo.

Para levar essa história a um público maior, Boehlke colecionou 5.000 fotos, horas de material em vídeo 8 mm e as fitas originais de quase a íntegra da música punk alemã oriental, colocando tudo em um arquivo em Pankow, na zona nordeste de Berlim.

“Não quero que algum alemão ocidental venha me dizer como era o cenário punk na Alemanha Oriental”, disse Boehlke, que hoje tem cabelos grisalhos curtos e usa terno em lugar do couro preto e das roupas rasgadas de um punk.

“Nós fizemos parte daquele cenário, exploramos sua história e temos algo a dizer sobre ele”, falou Boehlke, explicando que a realidade alemã oriental frequentemente é representada com equívocos em várias mídias.

O punk chegou à RDA no final dos anos 1970 e início dos anos 1980, onde ganhou força em centros urbanos como Berlim e Leipzig, seguindo as tendências da Grã-Bretanha, Estados Unidos e Europa ocidental.

“Todos nós ouvíamos estações de rádio ocidentais em Berlim, e o programa de rádio semanal de John Peel na BBC exerceu um papel grande em minha descoberta da música punk”, disse Boehlke à Reuters.

Núcleo promove curso sobre iconografia dos orixás, mediunidade e máscaras

O Núcleo de Estudos Africanos e Afro-brasileiros em Línguas e Culturas (Ngealc), vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da UNEB, está com inscrições abertas para o curso Iconografia dos orixás, simbolismo das cores, mediunidade e máscaras.

Os interessados devem preencher ficha de inscrição e encaminhá-la para o e-mail iconodosorixas@gmail.com. A taxa é de R$ 40 para estudantes e R$ 60 para os demais públicos. Estão sendo disponibilizadas 100 vagas.

O curso será realizado entre os dias 25 e 29 de julho, das 14h às 18h, e no dia 30 do mesmo mês, das 8h às 12h, no auditório do Centro de Pesquisa em Educação e Desenvolvimento Regional (CPDR), no Campus I da universidade, em Salvador.

“Esse curso foi solicitado por comunidades de terreiros de candomblé de Salvador, que demonstraram interesse em ampliar o conhecimento nessa cultura”, frisa Yeda Pessoa de Castro, coordenadora do núcleo.

As aulas serão ministradas pelo professor Babatunde Lawal, doutor em história da arte pela Universidade de Indiana (Estados Unidos).

“É uma oportunidade única para os baianos poderem aprender alguns aspectos da iconografia dos orixás à luz da religiosidade e da cultura yorubá, por meio da interpretação de símbolos, cores e representações”, enfatizou Yeda.

Babatunde Lawal

Nascido na Nigéria, Babatunde Lawal graduou-se em artes plásticas na Universidade de Nsukka (Nigéria). Atuou como professor visitante na universidade americana de Harvard. Atualmente é professor de história da arte na Virginia Commonwealth University, também nos Estados Unidos.

O professor Lawal tem inúmeras publicações sobre diferentes aspectos da arte na África e sobre a chamada Diáspora Africana. Segundo Yeda, suas pesquisas sobre a estética e os significados das artes e festivais tradicionais contribuíram significativamente para o seu reconhecimento internacional, servindo de inspiração a artistas negros contemporâneos.

Informações: CPEDR/Campus I – tel. (71) 3117-2448.

%d blogueiros gostam disto: