Exposição “Pelos Caminhos de Salvador”

Fotografias e postais que reconstituem a construção das praças, igrejas e moradias da capital baiana integram a exposição “Pelos Caminhos de Salvador”, que está em cartaz no Museu Tempostal.  A mostra traz a simplicidade das oficinas e depósitos que formaram inicialmente a parte baixa da cidade até a urbanização do século XX, e dessa forma vai contando a história da ocupação da primeira capital do país.

Através de uma leitura histórica, é possível conferir, também, as mudanças nos hábitos e costumes ligados à vida cotidiana. Para quem aprecia o desenrolar dos acontecimentos históricos, a exposição pode ser uma boa alternativa de lazer numa cidade como Salvador, que consegue equilibrar sua história com os avanços e tecnologias atuais.

Museu Tempostal:
Rua Gregório de Matos, 33 – Pelourinho, Salvador/BA. Funcionamento: terça a sexta, de 10 às 18h. Finais de semana e feriados, das 13 às 17h

Bahia fica no empate em Belém

O Bahia jogou ontem em Belém contra o Paysandu, pela 2ª rodada da Copa do Brasil, e ficou no empate em 0x0.

Apesar de ter jogado fora de seus domínios, o resultado não foi bom para o tricolor, que agora necessita da vitória para passar de fase, isso porque o empate com gols beneficiará o Paysandu, já que o regulamento da competição tem como critério de desempate gols marcado na casa do adversário.

O Bahia foi superior, principalmente no segundo tempo, e desperdiçou ótimas oportunidades de garantir a classificação já na partida de ontem.

O jogo decisivo será realizado em Pituaçú, no dia 6 de abril. Quem passar de fase vai entrentar o Atlético Paranaense.

Risco de incêndio suspende parte dos serviços do Arquivo Público da Bahia

As memórias da Bahia e do Brasil estão ameaçadas. O Arquivo Público da Bahia (APB) corre o risco de ser consumido pelo fogo, caso um incêndio atinja o acervo, constituído basicamente de documentos em papel e microfilme. Isso porque o prédio que abriga o patrimônio documental, a Quinta do Tanque, localizada na Baixa de Quintas, não possui sistema antifogo e dispõe apenas de 48 extintores.

Como agravante, o imóvel guarda umidade, o que causa danos à rede elétrica. Desde o último dia 10, parte da energia foi desligada e reparos de emergência estão sendo realizados a fim de evitar curtos-circuitos. Por conta disso, o arquivo está funcionando apenas parcialmente.

“Por duas vezes, o disjuntor desarmou. Para nós, este foi o sinal de perigo iminente”, conta Ubiratan Castro de Araújo, diretor da Fundação Pedro Calmon, que administra o arquivo. Araújo disse que a caixa de luz foi refeita e os fios estão sendo isolados por tubulações de PVC, e uma obra de requalificação do sistema elétrico será feita a partir de maio.

Prejuízos – De acordo com a diretora do arquivo, Maria Teresa Matos, a situação exige urgência. O ideal seria a mudança do APB para um prédio com mais espaço e ventilação adequada. “O imóvel já não comporta a quantidade de documentos e o excesso de umidade demanda higiene constante para evitar a ação de pragas”, revela Maria Teresa.

Mas as restrições orçamentárias do governo estadual vão dificultar uma solução deste tipo ainda em 2011. A FPC, no entanto, já articula parcerias com o departamento baiano do Instituto de Arquitetos do Brasil para que dois projetos sejam apresentados, um de adequação do prédio atual e outro de um novo imóvel a ser construído.

“Para pleitearmos recursos, temos que lançar projetos. Nosso objetivo é que obtenhamos a ampliação do orçamento do ano que vem”, diz o diretor da fundação.

Enquanto são feitos os reparos, boa parte dos serviços do APB estão suspensos, como as consultas à base de dados e aos microfilmes, o atendimento via telefone, as visitas escolares e o fornecimento de cópias de documentos civis.

Fonte: Jornal A Tarde

José Alencar – Repousa o Guerreiro

O Brasil lamenta a perda de um grande homem e um guerreiro pela vida. O Ex-Vice-Presidente morreu nesta terça (29), às 14h45, por falência múltipla de órgãos, aos 79 anos, no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Sites e Portais dos mais diversos segmentos destacam a sua trajetória.

Globo

R7

UOL

Terra

IG

Metrópole

Bahia Notícias

 

 

Versão digital do livro “O Mundo dos Trabalhadores e seus Arquivos”

A obra, que já está em sua segunda edição, é uma coletânea de artigos de especialistas brasileiros e estrangeiros nos estudos sobre o mundo dos trabalhadores e seus arquivos. Os artigos foram estruturados com base no 1º Seminário Internacional “O Mundo dos Trabalhadores e seus Arquivos”, realizado em São Paulo, nos dias 9 a 11 de setembro de 2008.

Com a publicação dessa versão digital, o Arquivo Nacional e a CUT esperam facilitar o acesso à coletânea, que apresenta artigos de grande relevância científica para a recuperação e a preservação dos arquivos dos trabalhadores, e avança nos propósitos do 2º Seminário Internacional O Mundo dos Trabalhadores e seus Arquivos – Memória e Resistência” que será realizado na sede do Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro, nos dias 9 a 11 de setembro de 2008.

Clique aqui para baixar a versão digital da 2ª edição do livro “O Mundo dos Trabalhadores e seus Arquivos”

Para mais informações sobre o 2º Seminário Internacional O Mundo dos Trabalhadores e seus Arquivos”, acesse o site www.an.gov.br/seminario/

Salvador, 462 anos!

Parabéns para Salvador pelos seus 462 anos!

Foto do Jornal da Metrópole

8 coisas sobre preservação de e-Documentos para lítigios e investigações judiciais

John Mancini, presidente da AIIM (Association for Information and Image Management) divulgou recentemente em seu Twitter um artigo com oito dicas de como as empresas devem fazer a preservação de seus documentos e dados digitais. O artigo abaixo é de John Okonkwo, membro da AIIM.

Para acessar a versão em inglês, clique aqui.

8 Coisas que você precisa saber sobre preservação de e-Documentos para lítigios e investigações judiciais

John Okonkwo*

Visto que órgãos reguladores e tribunais de justiça estão cada vez mais exercendo seus poderes de supervisão, espera-se que eles irão cobrar das organizações responsáveis explicações quanto às avaliações que sustentam seus protocolos de preservação de ESI – Electronically Stored Information –  Informações Armazenadas Eletronicamente.

No que diz respeito aos negócios, o impacto causado por este alto nível de investigação, fiscalização regulatória e judicial, as empresas que ignoram os riscos de preservação local e remoto de ESI, assim como o gerenciamento de comunicação da Web 2.0 de seus colaboradores, fazem por sua conta e risco esse controle.

Uma vez que mais de 93% dos registros corporativos são eletrônicos e o volume e os tipos de dados estão cada vez mais diversificados, milhares de documentos eletrônicos têm sido rotineiramente obtidos a partir de todos os locais nos quais uma organização qualquer tenha custódia, controle ou acesso à documentos eletrônicos – seja em Londres, Lima, ou Timbuktu.

A natureza dinâmica de ESI significa que os documentos essenciais/críticos podem ser facilmente substituídos, modificados, destruídos ou corrompidos no curso de sua utilização, não importando se isso acontece acidental ou maliciosamente; o resultado acaba sendo o mesmo – perda de evidências potencialmente relevantes, que podem aumentar multas, sanções penais ou jurídicas por espoliação.

As dicas a seguir trazem orientações úteis:

1 – Cave o seu poço bem antes de sentir sede
Esse provérbio chinês é particularmente oportuno. Seja proativo e estabeleça uma metodologia para a preservação de ESI que seja transparente, documentada e defensável, já que litígios ou investigações regulatórias tendem a ocorrer. Tal processo deve ser gerenciado/conduzido por gestores seniores das áreas de TI, jurídica, registros e conformidade.

2. Defina seu framework de gestão da informação
Implemente um framework de gestão eficaz de informação que assegure que os registros gerados pela empresa sejam guardados e destruídos de uma forma juridicamente compatível. Geralmente esta estrutura irá fornecer uma metodologia consistente e os limiares do volume em que os dados foram eliminados, substituídos ou armazenados fora de linha ou de back-up de sistemas.

3. Preserve metadados
Os metadados associados a um documento eletrônico pode ser tão importante quanto os dados nesse documento, isso porque ele estabelece o contexto em que o conteúdo eletrônico foi criado. Os tribunais e os reguladores esperam que os metadados associados à ESI sejam mantidos intactos.

4. Implemente uma estratégia IOA
Implemente uma estratégia de acesso e organização de informação(IOA – Information Organization and Access) como base principal dos procedimentos acima mencionados. A AIIM (Association for Information and Image Management) possuiu um excelente programa, capaz de aumentar as competências de uma organização no que diz respeito a criar, implementar e administrar um gerenciamento holístico de informação e estratégias de conformidade.

5. Monitore constantemente as práticas de retenção relacionadas à guarda
Os funcionários tendem a armazenar dados da maneira que lhes melhor convir, independentemente da política da empresa. Atualmente, mídias portáteis ou dispositivos de armazenamento podem guardar uma vasta quantidade de dados existentes apenas nestes dispositivos.  Juntamente com plataformas de redes sociais de Web 2.0, esses aparelhos podem desempenhar um papel crucial para estabelecimento de relacionamentos, prazos e afins. Lembre-se que dados são manipulados de diferentes formas. Por exemplo, os executivos da Mahogany Row frequentemente implementam sistemas de e-mails privados conhecidos apenas por uma parcela de pessoas. Você deve se proteger contra a ocultação de tais fontes potenciais de ESI.

6. Implemente tecnologia de arquivamento
Estabeleça uma tecnologia de arquivamento que atenda a retenção de dados em evolução e as obrigações de preservação. É importante que este tipo de tecnologia não dependa de arquivo.

7. Centralize e consolide a ESI preservada
Centralize e consolide a ESI preservada em poucos repositórios, caso sua organização seja alvo constante de processos de investigação ou litígio, ou caso você antecipe este tipo de situação. Tal prática irá reduzir o custo e a perturbação normalmente causada por processos do meio digital.

8. Desenvolva um procseso transparente e consistente para a entrada de ESI preservada
Desenvolva um processo transparente e consistente para que a ESI preservada seja reinserida nos arquivos da empresa, tão logo a investigação ou litígio em curso tenham sido concluídos.

*John Okonkwo tem especialização em informações governamentais pela US Attorney e pela UK Solicitor, com foco em e-discovery e e-fraude. Okonkwo é membro da AIIM e da Associação de Certificação de Exames em Fraudes (ACFE). 

Fonte: Document Management

%d blogueiros gostam disto: