Polo seleciona 60 tutores e 20 supervisores para capacitação em inclusão digital

O Polo de Formação Regional Nordeste − vinculado à Rede Nacional de Formação para Inclusão Digital e coordenado pela UNEB em parceria com a Universidade Federal do Pará (Ufpa) − está selecionando tutores e supervisores para o curso de formação para inclusão digital, que será oferecido na modalidade a distância (EaD).

Estão sendo disponibilizadas 60 vagas para tutores e 20 vagas para supervisores de tutoria. As inscrições devem ser realizadas pelo e-mail rede.polonordeste@uneb.br, até o dia 12 de dezembro.

O curso vai capacitar monitores para atuarem nos telecentros que compõem as unidades do Programa Nacional de Apoio à Inclusão Digital nas Comunidades (Telecentros.BR), do governo federal, na região Nordeste.

As vagas para o cargo de tutor são destinadas para estudantes de graduação e pós-graduação, em qualquer área, que podem se inscrever de acordo com as especificações do edital da seleção. A remuneração mensal é de R$ 741.

Já a seleção de supervisores de tutoria tem como público-alvo professores com pós-graduação e experiência comprovada em educação a distância, atuantes no ensino superior há, no mínimo, dois anos. Os interessados devem enviar ficha de inscrição e os documentos exigidos no edital do certame. A remuneração é de R$ 1.830 mensais.

A seleção para as duas funções consta de três etapas: análise curricular, análise da documentação e entrevista (nos casos em que a comissão organizadora considerar pertinente).

O resultado será divulgado até o dia 22 de dezembro. A Ufpa será responsável pela contratação dos candidatos selecionados.

Os telecentros são espaços públicos de acesso gratuito às tecnologias de informação e comunicação (TICs). Nesses ambientes, computadores estão conectados à internet, possibilitando navegação livre e assistida, cursos e outras atividades.

Segundo a pesquisadora da UNEB Sônia Pinto, que representa a universidade no Polo de Formação Regional Nordeste, o curso irá capacitar jovens entre 16 e 29 anos para desenvolver projetos sociais e utilizar tecnologias diversas para inserir as comunidades beneficiadas no mundo digital.

“Essa pode ser considerada uma política pública de inclusão digital”, afirma Sônia.

No estado, o Programa de Inclusão Sociodigital (Pisd), da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), mantém mil telecentros em vários municípios. O curso de formação para inclusão digital vai beneficiar cerca de dois mil participantes do Pisd.

Informações: rede.polonordeste@uneb.br.

Clique aqui para acessar edital de tutores

Clique aqui para acessar edital de supervisores de tutoria

                                                                                               Notícia publicada pela UNEB

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: