Bichos Escrotos

8e479c22-d7b0-4cc6-a33b-4fa7017ac928_coroneis

Operação Nêmesis: coronéis da PM são liberados

Com forte esquema de segurança e sem contato com a imprensa, foram soltos na noite desta segunda-feira (9) os três coronéis da Polícia Militar acusados de comandar um esquema de superfaturamento de contratos para compra de viaturas e receber propinas em licitações.

A juíza Ivone Bessa Ramos, titular da 1ª Vara Criminal, assinou pela tarde a ordem de soltura para a liberação do ex-comandante da PM, Coronel Antonio Jorge Ribeiro de Santana, o ex-comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Sérgio Alberto Silva Barbosa, e o coronel Jorge Silva Ramos, diretor de Apoio Logístico da PM.

Os três estavam há cinco dias detidos na sede do 3º Grupamento de Bombeiro Militar (GBM), na região do Iguatemi, em Salvador, e foram soltos para aguardar o julgamento em liberdade. Eles foram liberados às 21h30 e saíram em comboio com duas viaturas da Rondesp e catorze carros com vidro fumê como garantia de proteção.

Antes da liberação dos acusados, os advogados dos coronéis informaram que eles não dariam declarações à imprensa. A operação montada para a soltura dos PMs deixou o trânsito lento na região do Iguatemi.

Envolvidos
Os civis acusados de envolvimento no esquema, investigado pela Operação Nêmesis da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), já haviam sido liberados na tarde e início da noite desta segunda-feira (9). Aline Cerqueira de Castro e Jocélia Fernandes Oliveira foram as primeiras a serem liberadas depois de ficarem cinco dias presas na Delegacia Especializada para a Repressão de Crimes contra a Criança e o Adolescente (Derca).

Os outros acusados de envolvimento no esquema, entre eles o tenente Antônio Durval Senna Junior e o procurador André Thadeu Franco Bahia, estavam presos no prédio da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) também desde o último dia 5.

Fraude
As investigações da SSP-BA foram iniciadas há cinco meses, após denúncia de que havia fraude no processo licitatório para aquisição de 191 viaturas, usadas pelas Rondas Especiais (Rondesp) e também companhias de bairro com a adesivagem azul.

Agentes do Comando de Operações Especiais (COE) da Polícia Civil flagraram Santana quando ele recebia R$ 26 mil dos diretores da empresa Júlio Simões Transportes e Serviços Ltda, Jaime Palaia Sica e William Laviola na quinta (5).

Acusados de envolvimento no esquema
– Coronel Jorge Santana: Ex-comandante da PM 
– Coronel Sérgio Alberto Barbosa: Ex-comandante do Corpo de Bombeiros 
– Coronel Jorge Silva Ramos: Diretor de Apoio Logístico da PM 
– Tenente Antônio Durval Senna Junior 
– André Thadeu Franco Bahia: Procurador 
– Gracílio Junqueira Santos: Lobista 
– William Laviola e Jaime Palaia Sica: Grupo Júlio Simões 
– Aidano da Silva Portugal, Aline Cerqueira de Castro, Jocélia Fernandes Oliveira e Sidnei Couto de Jesus .

Reportagem do Jornal Correio*.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: